terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Por quê?


08/07/05

Depois de duas ligações do A. nessas duas últimas semanas, descobri o que realmente fui: USADA! A R.(tesoureira da missão) acabou de me chamar para uma conversa, na qual ela me disse que a conta de telefone veio com, pelo menos, 900 reais de meu antigo código, e que ela confirmou que foi o A.que fez essas ligações, e que serei chamada na reunião da diretoria hoje à tarde.

No início do curso, perto de abril, ele me pediu o código para fazer uma ligação urgente... e continuou usando esse código até junho, mesmo sabendo que havíamos mudado de código. Fui iludida uma vez mais... e usada! E por que tantos problemas envolvendo dinheiro e telefone? O que queres me ensinar, Senhor? A não confiar realmente em ninguém? A segurar todo o dinheiro possível, como o pai? A não ter amigos, como a L.? O que fazer, Senhor? Gostaria tanto de sumir, mas prá onde irei?

Como irei cumprir Teus santos propósitos desse jeito? Como ser como Tu és. Jesus? Me distanciei tanto... Há dois dias a D. me ligou, e me pareci tão distante do que eu era, do que ela conhecia, com vergonha, pesar, tristeza, cansaço.

Minha única esperança é ir a Ti, Senhor. Disciplina-me, salva-me dessa lama que me rodeia, santifica-me pela Tua Palavra, limpa-me, purifica-me, dá-me um coração como o Teu, envolve-me em Teu amor. Preciso tanto de Ti...

Ninguém me ama como o Senhor, ninguém se importa como o Senhor, ninguém perdoa e me aceita como o Senhor.

Fracassei! Fracassei como secretária do CLM, fracassei como colega de casa, fracassei como professora, fracassei como amiga, fracassei como escritora, fracassei como missionária, fracassei como colega de equipe, fracassei como pregadora, fracassei em minha devocional, fracassei em minha responsabilidade de intercessora, fracassei em meus relacionamentos, fracassei comigo mesma e, principalmente, fracassei contigo.

O A. acabou de me ligar, e ele disse que, de modo algum, quis me prejudicar, que vai pagar tudo o que deve, e que nem eu nem a missão sairemos no prejuízo. O que pensar? A marca dessas situações ficam, e meu testemunho cada vez mais se enlameia, Te desonra, joga no lixo tudo o que fizeste por mim.

Leva-me, Jesus, leva-me aos Teus braços, pois preciso tanto receber Teu consolo, Teu perdão, Tua graça restauradora, Tua santidade...

Ontem fui buscar o J. e a K. com a filhinha deles, de kombi, na rodoferroviária. Levei a H. Foi uma experiência ótima, apesar dos congestionamentos, pois tive que ser um pouco mais ousada a fim de poder entrar nas vias mais movimentadas. Mas, a decepção veio do J. que, ao chegar, falou ao JC, o presidente da missão, que a viagem foi boa só até a rodoferroviária. Eu não preciso mais de acusadores, não preciso mais de palavras que me denigrem, me colocam prá baixo. Tenho um acusador que faz muito bem o seu trabalho e não me dá descanso. Será que as pessoas não percebem isso?

O A. me ligou novamente, depois de falar com a R. comprometendo-se a pagar tudo o que ele gastou. Na segunda ligação ele tentou me consolar, me pediu perdão, disse que estaria orando por mim e que, qualquer coisa, eu poderia jogar nas costas dele, que não deve nada a ninguém. Que situação!

As pessoas erram, fazem suas coisas, eu erro, aí tudo parece explodir no meu lado, com o meu nome, aí a vida de santidade que procuro ter vai por água abaixo. Por mais que eu tente, não consigo, Pai.

Tu és fiel, és Deus Eterno, Deus que provê, que sustém, Deus justo e soberano, Deus onipresente, onipotente, onisciente, santo e consolador, mejestoso e perfeito, que deus há como o Senhor? Como ser aquilo que querer, Senhor? Há um tempo achei que conseguira mas, e agora?

Afundei-me em pesquisas da religião do Antigo Egito, parei de ler a Bíblia, esqueci-me de muita coisa, sinto-me tão longe... Quanto mais terei que percorrer até voltar ao primeiro amor? Quanto mais, Senhor?

E a diretoria da missão? Como enfrentá-la? Por favor, pelo sangue de Jesus, dá-me sabedoria do alto, a fim de responder a tudo conforme a Tua santa vontade, de maneira a, ainda assim, Te glorificar, Senhor meu e Deus meu.

Bom, muita coisa aconteceu nesses últimos dias. Uma delas é que passei o fim de semana na casa de minha mãe de oração, a A.. Foi relamente um tempo de descanso e relaxamento. Fico apreensiva com a situação dela, que está passando por situações difíceis com seu marido, ao mesmo tempo que a admiro pela perseverança e determinação na Palavra e no temor do Senhor. Como é uma bênção ter contato com pessoas assim!

Fui na casa dela e comemos uma pizza deliciosa (quanto tempo!).

2 comentários:

Anônimo disse...

Cara amiga, lendo essa postagem entendo que existem lutas na sua caminhada. Interessante, eu também. Mais interessante ainda, é que milhares de pessoas nesse exato momento estão passando por pressões e não quero dizer que as minhas, as suas ou as de outro alguém sejam maiores ou menores, o fato é que ela, a "Sra. Luta" está ativa e incansável a todo momento, palavrinha que não dá folga, vocábulo presente desde que nos entendemos por gente.
Apenas não se sinta a única. Não me entenda mal, mas lendo seu texto parece que a batalha lhe é dada por um Deus, como se por Ele fosse colocada em aprovação a cada segundo, numa espécie de programa onde ser santo(a) fosse ser alvo de balas e misseis a todo momento.
Realmente me parece que você própria se cobra por situações e situações e não visualizo Deus te cobrando com você se apresenta ser cobrada.
Apenas relaxe, apenas respire, apenas seja você mesma. Abandone tantas preocupações e torturas por algo que lá no fundo são mais simples do que você imagina.
Não recebi nenhuma "revelação divina" para dizer isso, apenas escrevo de um ser humano de carne e osso para outro ser humano de carne e osso.

Abraço.

lioness disse...

Obrigada. Sinceramente, obrigada!

Por quê?


08/07/05

Depois de duas ligações do A. nessas duas últimas semanas, descobri o que realmente fui: USADA! A R.(tesoureira da missão) acabou de me chamar para uma conversa, na qual ela me disse que a conta de telefone veio com, pelo menos, 900 reais de meu antigo código, e que ela confirmou que foi o A.que fez essas ligações, e que serei chamada na reunião da diretoria hoje à tarde.

No início do curso, perto de abril, ele me pediu o código para fazer uma ligação urgente... e continuou usando esse código até junho, mesmo sabendo que havíamos mudado de código. Fui iludida uma vez mais... e usada! E por que tantos problemas envolvendo dinheiro e telefone? O que queres me ensinar, Senhor? A não confiar realmente em ninguém? A segurar todo o dinheiro possível, como o pai? A não ter amigos, como a L.? O que fazer, Senhor? Gostaria tanto de sumir, mas prá onde irei?

Como irei cumprir Teus santos propósitos desse jeito? Como ser como Tu és. Jesus? Me distanciei tanto... Há dois dias a D. me ligou, e me pareci tão distante do que eu era, do que ela conhecia, com vergonha, pesar, tristeza, cansaço.

Minha única esperança é ir a Ti, Senhor. Disciplina-me, salva-me dessa lama que me rodeia, santifica-me pela Tua Palavra, limpa-me, purifica-me, dá-me um coração como o Teu, envolve-me em Teu amor. Preciso tanto de Ti...

Ninguém me ama como o Senhor, ninguém se importa como o Senhor, ninguém perdoa e me aceita como o Senhor.

Fracassei! Fracassei como secretária do CLM, fracassei como colega de casa, fracassei como professora, fracassei como amiga, fracassei como escritora, fracassei como missionária, fracassei como colega de equipe, fracassei como pregadora, fracassei em minha devocional, fracassei em minha responsabilidade de intercessora, fracassei em meus relacionamentos, fracassei comigo mesma e, principalmente, fracassei contigo.

O A. acabou de me ligar, e ele disse que, de modo algum, quis me prejudicar, que vai pagar tudo o que deve, e que nem eu nem a missão sairemos no prejuízo. O que pensar? A marca dessas situações ficam, e meu testemunho cada vez mais se enlameia, Te desonra, joga no lixo tudo o que fizeste por mim.

Leva-me, Jesus, leva-me aos Teus braços, pois preciso tanto receber Teu consolo, Teu perdão, Tua graça restauradora, Tua santidade...

Ontem fui buscar o J. e a K. com a filhinha deles, de kombi, na rodoferroviária. Levei a H. Foi uma experiência ótima, apesar dos congestionamentos, pois tive que ser um pouco mais ousada a fim de poder entrar nas vias mais movimentadas. Mas, a decepção veio do J. que, ao chegar, falou ao JC, o presidente da missão, que a viagem foi boa só até a rodoferroviária. Eu não preciso mais de acusadores, não preciso mais de palavras que me denigrem, me colocam prá baixo. Tenho um acusador que faz muito bem o seu trabalho e não me dá descanso. Será que as pessoas não percebem isso?

O A. me ligou novamente, depois de falar com a R. comprometendo-se a pagar tudo o que ele gastou. Na segunda ligação ele tentou me consolar, me pediu perdão, disse que estaria orando por mim e que, qualquer coisa, eu poderia jogar nas costas dele, que não deve nada a ninguém. Que situação!

As pessoas erram, fazem suas coisas, eu erro, aí tudo parece explodir no meu lado, com o meu nome, aí a vida de santidade que procuro ter vai por água abaixo. Por mais que eu tente, não consigo, Pai.

Tu és fiel, és Deus Eterno, Deus que provê, que sustém, Deus justo e soberano, Deus onipresente, onipotente, onisciente, santo e consolador, mejestoso e perfeito, que deus há como o Senhor? Como ser aquilo que querer, Senhor? Há um tempo achei que conseguira mas, e agora?

Afundei-me em pesquisas da religião do Antigo Egito, parei de ler a Bíblia, esqueci-me de muita coisa, sinto-me tão longe... Quanto mais terei que percorrer até voltar ao primeiro amor? Quanto mais, Senhor?

E a diretoria da missão? Como enfrentá-la? Por favor, pelo sangue de Jesus, dá-me sabedoria do alto, a fim de responder a tudo conforme a Tua santa vontade, de maneira a, ainda assim, Te glorificar, Senhor meu e Deus meu.

Bom, muita coisa aconteceu nesses últimos dias. Uma delas é que passei o fim de semana na casa de minha mãe de oração, a A.. Foi relamente um tempo de descanso e relaxamento. Fico apreensiva com a situação dela, que está passando por situações difíceis com seu marido, ao mesmo tempo que a admiro pela perseverança e determinação na Palavra e no temor do Senhor. Como é uma bênção ter contato com pessoas assim!

Fui na casa dela e comemos uma pizza deliciosa (quanto tempo!).