segunda-feira, 19 de novembro de 2018

O vício nosso de cada dia

Todos temos nossos vícios,
sejam eles quais forem.
São vícios que ingerimos, digerimos,
inalamos, expressamos.

São vícios que experimentamos...
e depois não sabemos mais sem eles viver.
São vícios de comportamento,
de rotina, de momentos,
São vícios de pessoas,
de carinhos, de sentimentos.

Vícios de tecnologias,
Ironias, analogias.
Viciados em nós mesmos,
caminhamos para o abismo de Narciso.
Nossos vícios, nosso destino.

Angela Natel – 24/03/2016.

domingo, 18 de novembro de 2018

Prepotência



Ao achar-se melhor
Seja no estudo, nas habilidades
Ao pensar que sabe mais
Que possui tal faculdade

Discute com quem ensina
Quer ditar, não aprender
Controla e determina
Recusando-se a ceder.

Angela Natel – 12/03/2016

sábado, 17 de novembro de 2018

O que é ser um servo?


Servo é aquele que consola,
que abraça, que acalma.
Servo é aquele que compartilha o que tem e o que pode, o que ajuda.
Servo é o que alegra, o que ama,
o que chora junto, o que anima.
Servo é o que carrega o peso do outro,
e às vezes, carrega o outro.
Servo é aquele que não quer se afirmar, mas levantar o outro.
Servo não busca reconhecimento, mas cumprir sua tarefa.
Servo não marca território, mas defende o marginalizado.
Um servo se parece com Jesus,
em suas atitudes, em suas intenções.
Não usa de desculpa não ser Cristo,
para justificar falta de amor.
Servo deixa de lado, muitas vezes, seus próprios direitos
para poder defender a causa dos que não tem voz.
Como Cristo fez conosco.
Ser encontrado em forma inferior
e ter a segurança de saber quem é
para poder se humilhar,
e obedecer,
e morrer.
Servir até a morte – eis a vida de um servo.
Pois é Deus quem determina quem somos,
e o que devemos fazer.
Melhor privilégio não há
do que ser servo dos servos de Deus.
E tudo isso para que um único nome apareça
e que um só receba o reconhecimento – Jesus.

Angela Natel – 04/03/16.

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Minha outra metade




Minha outra metade
A metade divertida do meu ser
não mora comigo, você pode ver.
Ela é esperta, sociável,
tem sorriso contagiante, é amável.
Ela se preocupa comigo, com meu bem estar,
é a metade de mim que me protege,
que sabe me amar.
Junto a esta metade, me sinto segura,
ela me cerca de ternura.
Mesmo assim ela me corrige,
e ao rir de mim, às vezes me aflige.
Porém não vivo sem essa metade,
que está onde não estou,
vivendo da mesma verdade.
A metade agradável de meu ser,
ela me traz sorte, é meu talismã,
é o outro lado de minha moeda,
ela é minha irmã.
Angela Natel


quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Lama e Sangue



Mar de lama.

Mar de sangue.
...pedindo água
...pedindo paz
numa busca incansável pela vida.

Estamos vivos
nadando em lama
corrupção e violência.
Choramos sangue
esgotando nossas forças
contra um muro de intolerância.

É muito descaso e pouco recurso
é muita etiqueta e pouca clemência.
Usam as tragédias para defender pontos de vista,
é lamentável.

Estamos mortos
em nossas cosmovisões.
Somos um mar de sujos
condenando os mal lavados.

Usamos o sangue alheio para nos promover.
É pouca compaixão e humanidade
para quem se diz tão humano.
É muita dicotomia
para um mundo de iguais.

Angela Natel

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Die before the 60's


I have my goals
And I’m on my way to catch them.
It is not my pleasure, not my will
To be 60’s.

So I have a plan
And I don’t give up about it.
I'm preparing myself
To live, to love on fire.

Then, one of my desires
Is to die before I’m 60.
To die young, to make History
And to leave a mark on this world of misery.

So now I’m happy
With my choices and all their consequences.
There’s no regrets.
There’s only pain under my surfaces.

So there is no worry about my tattoos
Neither about my possessions
I have no place to feel like home
I’m here just to learn how to bless.

So growing old is not my problem
To someone who live like a stranger
This all will pass, I’m sure of it.
So now I’m not afraid of danger.

There is only one way to path
And the truth is: it’s not a decision.
But there is joy and pleasure on this math
It’s more acceptance than a religion.

Angela Natel

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Só vejo máscaras ao meu redor


Só vejo máscaras ao meu redor
Máscaras no espelho
Máscaras e pior:

Vejo quem defenda o indefensável
Vejo fazer média,
Do que se faz intratável.

Só vejo máscaras
Um verdadeiro baile
O ano todo, ao meu redor.

Sinto na pele o desamor
Daquele que prega
E que afirma amar.

Máscaras que provocam dor
numa busca cega
De quem precisa se afirmar.

 Só vejo máscaras
Mais nocivas que as usadas no Carnaval
Assustadoramente perigosas
Perto das quais Halloween perde o seu mal.

Angela Natel – 01/10/2015.

O vício nosso de cada dia

Todos temos nossos vícios,
sejam eles quais forem.
São vícios que ingerimos, digerimos,
inalamos, expressamos.

São vícios que experimentamos...
e depois não sabemos mais sem eles viver.
São vícios de comportamento,
de rotina, de momentos,
São vícios de pessoas,
de carinhos, de sentimentos.

Vícios de tecnologias,
Ironias, analogias.
Viciados em nós mesmos,
caminhamos para o abismo de Narciso.
Nossos vícios, nosso destino.

Angela Natel – 24/03/2016.

Prepotência



Ao achar-se melhor
Seja no estudo, nas habilidades
Ao pensar que sabe mais
Que possui tal faculdade

Discute com quem ensina
Quer ditar, não aprender
Controla e determina
Recusando-se a ceder.

Angela Natel – 12/03/2016

O que é ser um servo?


Servo é aquele que consola,
que abraça, que acalma.
Servo é aquele que compartilha o que tem e o que pode, o que ajuda.
Servo é o que alegra, o que ama,
o que chora junto, o que anima.
Servo é o que carrega o peso do outro,
e às vezes, carrega o outro.
Servo é aquele que não quer se afirmar, mas levantar o outro.
Servo não busca reconhecimento, mas cumprir sua tarefa.
Servo não marca território, mas defende o marginalizado.
Um servo se parece com Jesus,
em suas atitudes, em suas intenções.
Não usa de desculpa não ser Cristo,
para justificar falta de amor.
Servo deixa de lado, muitas vezes, seus próprios direitos
para poder defender a causa dos que não tem voz.
Como Cristo fez conosco.
Ser encontrado em forma inferior
e ter a segurança de saber quem é
para poder se humilhar,
e obedecer,
e morrer.
Servir até a morte – eis a vida de um servo.
Pois é Deus quem determina quem somos,
e o que devemos fazer.
Melhor privilégio não há
do que ser servo dos servos de Deus.
E tudo isso para que um único nome apareça
e que um só receba o reconhecimento – Jesus.

Angela Natel – 04/03/16.

Minha outra metade




Minha outra metade
A metade divertida do meu ser
não mora comigo, você pode ver.
Ela é esperta, sociável,
tem sorriso contagiante, é amável.
Ela se preocupa comigo, com meu bem estar,
é a metade de mim que me protege,
que sabe me amar.
Junto a esta metade, me sinto segura,
ela me cerca de ternura.
Mesmo assim ela me corrige,
e ao rir de mim, às vezes me aflige.
Porém não vivo sem essa metade,
que está onde não estou,
vivendo da mesma verdade.
A metade agradável de meu ser,
ela me traz sorte, é meu talismã,
é o outro lado de minha moeda,
ela é minha irmã.
Angela Natel


Lama e Sangue



Mar de lama.

Mar de sangue.
...pedindo água
...pedindo paz
numa busca incansável pela vida.

Estamos vivos
nadando em lama
corrupção e violência.
Choramos sangue
esgotando nossas forças
contra um muro de intolerância.

É muito descaso e pouco recurso
é muita etiqueta e pouca clemência.
Usam as tragédias para defender pontos de vista,
é lamentável.

Estamos mortos
em nossas cosmovisões.
Somos um mar de sujos
condenando os mal lavados.

Usamos o sangue alheio para nos promover.
É pouca compaixão e humanidade
para quem se diz tão humano.
É muita dicotomia
para um mundo de iguais.

Angela Natel

Die before the 60's


I have my goals
And I’m on my way to catch them.
It is not my pleasure, not my will
To be 60’s.

So I have a plan
And I don’t give up about it.
I'm preparing myself
To live, to love on fire.

Then, one of my desires
Is to die before I’m 60.
To die young, to make History
And to leave a mark on this world of misery.

So now I’m happy
With my choices and all their consequences.
There’s no regrets.
There’s only pain under my surfaces.

So there is no worry about my tattoos
Neither about my possessions
I have no place to feel like home
I’m here just to learn how to bless.

So growing old is not my problem
To someone who live like a stranger
This all will pass, I’m sure of it.
So now I’m not afraid of danger.

There is only one way to path
And the truth is: it’s not a decision.
But there is joy and pleasure on this math
It’s more acceptance than a religion.

Angela Natel

Só vejo máscaras ao meu redor


Só vejo máscaras ao meu redor
Máscaras no espelho
Máscaras e pior:

Vejo quem defenda o indefensável
Vejo fazer média,
Do que se faz intratável.

Só vejo máscaras
Um verdadeiro baile
O ano todo, ao meu redor.

Sinto na pele o desamor
Daquele que prega
E que afirma amar.

Máscaras que provocam dor
numa busca cega
De quem precisa se afirmar.

 Só vejo máscaras
Mais nocivas que as usadas no Carnaval
Assustadoramente perigosas
Perto das quais Halloween perde o seu mal.

Angela Natel – 01/10/2015.