segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Você (para E. em 1996)

Tua boca me assola,me amola, me isola de todo mundo, que imita, que irrita, e na vida quer ir mais fundo, bem fundo, onde ninguém jamais chegou ou falou.
Teu caráter seduz, conduz à mais profunda perdição, paixão que me envolve todo o ser, o querer que já não sabe mais para onde ir, seguir o mar dos acontecimentos, intentos da mais pura ilusão, ficção da mais pura imaginação.
Teus gestos me passam calor, fervor de momentos passados, sentados aos beijos e abraços, carícias tão pouco esquecidas, sumidas dos pensamentos teus.
Teus olhos há muito sofridos, contritos, que expressam tanto amargor, terror de vícios cruéis, fiéis ao pai da corrupção, maldição que te impede e culpa, desculpa para este vazio que teus olhos vejo expressar.
Teu amor éinconstante, instante raro e inesquecível, incrível, que marca mas que passa, e amassa meu coração machucado, amargurado, sem dó nem piedade, amizade platônica sem um pingo de verdade.
Tuas palavras não merecem crédito, inédito a verdade em teus lábios, sábios não diriam tuas mentiras, liras de amor para os ouvidos virgens e tensos, suspensos na mente e ilusão de quem ama, chama teu nome, come tuas palavras e dorme tranquila à espera de mais.
Tua vida é mais que uma vida, sentida e tão pouco esquecida nos olhos teus; teus atos loucos e fracos – como os dos ratos – fogem de Deus.
Lembrarás da passada ventura e de tanta ternura que de mim recebeu; porém, com toda certeza, encontrarás a riqueza de um sonho atroz.
Juntos ou separados, não poderão ser contados
Os sonhos que tivemos de nós.

(By Lioness)

4 comentários:

Lúcia disse...

Linda.
Você pode escrever 3 livros (no mínimo): uma autobiografia, um só de poesias e outro com teus estudos. E eu que pensava que gostava de escrever! Acho que gosto mesmo é de falar! kkkkkkkkkk
Bjs

HAZEL disse...

Lindíssimo texto.

Vou seguir o teu blog, se não te importares!

Beijos mágicos...

Babi Mello disse...

Que lindo, falar de sonhos...
Bj!

Kat disse...

Muito bacana seu blog.. já ouviu aquela história de que as pessoas tem apenas seis graus de separação? Eu e você não temos nem meio grau de separação, pois a sua história se cruza em vários pontos com a minha: já fui muuuito em King's Kids, minha igreja era muito ligada à MPC, frequentei demais a JOCUM de BH e já tive uns desencontros amorosos muito loucos.
Mas vou respeitar seu anonimato e o meu. Mas é muito legal saber da sua história, das suas experiências, do seu passado. Adoro o jeito que você escreve..ando pensando em ter outro blog, mais pessoal, mais poético, sabe?

mil beijocas

Você (para E. em 1996)

Tua boca me assola,me amola, me isola de todo mundo, que imita, que irrita, e na vida quer ir mais fundo, bem fundo, onde ninguém jamais chegou ou falou.
Teu caráter seduz, conduz à mais profunda perdição, paixão que me envolve todo o ser, o querer que já não sabe mais para onde ir, seguir o mar dos acontecimentos, intentos da mais pura ilusão, ficção da mais pura imaginação.
Teus gestos me passam calor, fervor de momentos passados, sentados aos beijos e abraços, carícias tão pouco esquecidas, sumidas dos pensamentos teus.
Teus olhos há muito sofridos, contritos, que expressam tanto amargor, terror de vícios cruéis, fiéis ao pai da corrupção, maldição que te impede e culpa, desculpa para este vazio que teus olhos vejo expressar.
Teu amor éinconstante, instante raro e inesquecível, incrível, que marca mas que passa, e amassa meu coração machucado, amargurado, sem dó nem piedade, amizade platônica sem um pingo de verdade.
Tuas palavras não merecem crédito, inédito a verdade em teus lábios, sábios não diriam tuas mentiras, liras de amor para os ouvidos virgens e tensos, suspensos na mente e ilusão de quem ama, chama teu nome, come tuas palavras e dorme tranquila à espera de mais.
Tua vida é mais que uma vida, sentida e tão pouco esquecida nos olhos teus; teus atos loucos e fracos – como os dos ratos – fogem de Deus.
Lembrarás da passada ventura e de tanta ternura que de mim recebeu; porém, com toda certeza, encontrarás a riqueza de um sonho atroz.
Juntos ou separados, não poderão ser contados
Os sonhos que tivemos de nós.

(By Lioness)