segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O poema de Fernando Pessoa que Cleo Pires tatuou para a capa da Playboy

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Fernando Pessoa

fonte: Retratos da vida

http://www.pavablog.com/

Um comentário:

Bruno Resende Ramos disse...

Não sabemos se o poema é a melhor estampa para a pessoa ou a pessoa é a melhor plataforma para a poética do imortal Drummond.
Eu ficaria com ambos... Ou melhor, com todo o respeito à poesia do Drummond, aceitaria esse belo livro sem qualquer assinatura mesmo.

Heheheehehe

O poema de Fernando Pessoa que Cleo Pires tatuou para a capa da Playboy

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Fernando Pessoa

fonte: Retratos da vida

http://www.pavablog.com/