terça-feira, 14 de abril de 2009

With heaven’s eyes

De repente ouço a canção
Que me pede para olhar a vida
Com os olhos divinos.
Faço, então, uma experiência
Prá ver se, realmente,
A vida vale a pena.

Vejo um sol que jamais se põe
E uma luz que nunca se apaga;
O valor de cada pessoa
Pelo que pode vir a ser
Não pelo que ainda é;
Vejo o mar como expressão de força
E a areia como de sabedoria,
Vejo maravilhas no céu e na terra
Ah, e a alegria,
Ela toma conta de mim!

Posso ver a mão de Deus
A mover montanhas de dificuldades,
Curar, dar paz, ministrar perdão,
Vejo Seu poder realizando milagres
E de esperança encher meu coração.
Vejo que, do nada, alimenta multidões
Vence superpotências que, prá Ele, o que são?

Tenho vontade de chorar, então,
Não de tristeza, mas de assombro, alegria
Emoção. Vejo agora com outros olhos
Que não sou eu
Que faz o mundo girar.

A mão que tudo pode
Que abriu o mar,
Hoje me abre os olhos
(como fez a tantos cegos)
Para que eu possa contemplar
Milagres hoje tão próximos
Singulares, que não posso deixar
(nem quero) de louvar o Santo nome
Do Deus dos Exércitos de Israel,
Meu Pai, Yah,
Meu Senhor Jesus,
Meu Santo e fiel Consolador
Por quem todas as situações
Podem, mudar.


(By Lioness, janeiro de 2000)

Obs: O poema foi escrito com base na música que faz parte da trilha sonora do longa de animação “Príncipe do Egito”, da Dreamworks.
Yah – abreviatura de Yahweh, tranliteração do nome hebraico do Deus dos judeus.

3 comentários:

Lúcia disse...

Música lindaaaa! E o poema também :D

Bjins

Luka disse...

Lindooo

Teresinha disse...

Gosto muito dos poemas que postas. Acho que és mesmo uma moça muito guerreira, uma "leoa", mas tem intimidade, reverência e humildade quando falas com Deus. Acho que não te importas das minhas visitas ao teu blog, embora ainda não me conheças. Sou mãe do Sami e ele é meu filho. Hehehe! Sejas feliz cada dia mais.

With heaven’s eyes

De repente ouço a canção
Que me pede para olhar a vida
Com os olhos divinos.
Faço, então, uma experiência
Prá ver se, realmente,
A vida vale a pena.

Vejo um sol que jamais se põe
E uma luz que nunca se apaga;
O valor de cada pessoa
Pelo que pode vir a ser
Não pelo que ainda é;
Vejo o mar como expressão de força
E a areia como de sabedoria,
Vejo maravilhas no céu e na terra
Ah, e a alegria,
Ela toma conta de mim!

Posso ver a mão de Deus
A mover montanhas de dificuldades,
Curar, dar paz, ministrar perdão,
Vejo Seu poder realizando milagres
E de esperança encher meu coração.
Vejo que, do nada, alimenta multidões
Vence superpotências que, prá Ele, o que são?

Tenho vontade de chorar, então,
Não de tristeza, mas de assombro, alegria
Emoção. Vejo agora com outros olhos
Que não sou eu
Que faz o mundo girar.

A mão que tudo pode
Que abriu o mar,
Hoje me abre os olhos
(como fez a tantos cegos)
Para que eu possa contemplar
Milagres hoje tão próximos
Singulares, que não posso deixar
(nem quero) de louvar o Santo nome
Do Deus dos Exércitos de Israel,
Meu Pai, Yah,
Meu Senhor Jesus,
Meu Santo e fiel Consolador
Por quem todas as situações
Podem, mudar.


(By Lioness, janeiro de 2000)

Obs: O poema foi escrito com base na música que faz parte da trilha sonora do longa de animação “Príncipe do Egito”, da Dreamworks.
Yah – abreviatura de Yahweh, tranliteração do nome hebraico do Deus dos judeus.